Amigos e-mail

please help me support

2020.10.22 17:35 KiROTSUKi please help me support

Olá, não recebi o código do Adler, joguei a primeira semana do beta da guerra fria e joguei o segundo novamente, e nada do código chegou, fiz na conta de um amigo e ele recebeu, mas eu não t, eu fiz todas as etapas certas.
Alguma ajuda? Meu e-mail para contato: [[email protected]](mailto:[email protected])
Sorry for my english, in using a google translate...
submitted by KiROTSUKi to CallOfDutyMobile [link] [comments]


2020.10.16 22:23 Creative_Oven_6350 Estou na minha segunda formação e há quase três anos procurando emprego. Não consigo nada. A frustração está acabando comigo há muito tempo.

Bem, antes de começar, essa conta é uma throwaway, já que pessoas próximas podem ver o post.
A questão é a seguinte: logo que saí do Ensino Médio, consegui entrar em uma universidade federal. Na época eu tinha algumas ideias do que queria fazer para a vida e decidi arriscar na que me parecia mais legal. Não me entendam mal, não é que eu me arrependa de minha escolha, honestamente se não fosse por ela eu não acho que seria a pessoa que sou hoje e não conheceria minha namorada (com quem tenho um relacionamento há 5 anos).
Para ser mais específico, eu entrei em Licenciatura e Bacharelado em História, na UFPR. Eu realmente gostei do curso. História sempre foi uma área que me fascinou e durante a formação pendi cada vez mais para a pesquisa. No entanto, claro que na metade da graduação percebi a falta de perspectivas de pesquisas nessa área no Brasil e comecei a pensar em alternativas de onde trabalhar.
Sempre gostei de dar aula, apesar de nunca querer ser professor do Estado. Então entrar em PSS não era uma opção. Antes da minha primeira graduação, durante e até um tempo depois, sempre trabalhei informalmente em negócios da família. Fui assistente administrativo no escritório de contabilidade dos meus pais. Ajudei na pequena gráfica digital que meu tio tinha, tanto no balcão quanto no setor de compras. Esses trabalhos me ensinaram muitas coisas e me deram muitas habilidades diferentes. Sempre sou elogiado por ser comunicativo, tenho habilidades avançadas no pacote Office completo, aprendi a mexer em estoque, arquivo, realizar trabalhos braçais etc.
Só que em certo momento percebi que precisava de um trabalho formal. Algo que estivesse registrado em minha carteira de trabalho. Aqui entra outra coisa que gosto muito: idiomas. Desde cedo sempre estudei outras línguas por conta própria. Sempre foi um hobbie meu. Me tornei fluente em inglês, consigo conversar em francês e japonês e tenho certo conhecimentos de espanhol e LIBRAS. Aproveitando essas minhas habilidades, consegui me tornar professor de inglês.
Mas a ideia de virar professor de inglês nunca me foi permanente. A falta de perspectiva de uma carreira nunca fez com que eu quisesse ser professor. Pesquisador sempre tive vontade. Por outro lado, vejo amigos meus com 30, 35 anos fazendo doutorado, pesquisas maravilhosas, mas precisando arrumar outros empregos para se manter e ganhar mais ou menos mil reais por mês. Não é uma vida que quero ter.
Estou com 23 anos no momento. Quando estava com 20, decidi que iria para outra área que sempre tive muito interesse: a parte comercial. Sempre fui bem com números. Não só enquanto trabalhava no escritório de contabilidade de meu pai, mas também participei e "ganhei" algumas Olímpiadas de Matemática enquanto estava na escola. A área administrativa também era interessante. Então pensei bastante e cheguei a conclusão que se conseguisse algo na área de Relações Internacionais ou Comércio Exterior, teria a carreira que sempre quis.
Isso se deu por volta do início de 2018. Achar estágio na área de História (em museus e coisas do tipo) nunca deu certo, tanto pela falta de vagas quanto pela carga horária diária do meu curso que nunca batia com o que eu achava. Consequentemente, fui procurar estágios e empregos em Relações Internacionais e Comércio Exterior. Assim se deu o meu ano de 2018. Obviamente, sem nenhum resultado.
Eu mandava todo mês meu currículo para inúmeras vagas. Nunca recebi uma única resposta. Tudo bem. Bola pra frente. 2019 chegou e eu me formei na metade do ano. Mais 6 meses sem nenhuma resposta. Nesta época, eu já enviava o currículo semanalmente. Queria alguma oportunidade em RI ou Comex. Eu achei que História era um curso similar o suficiente. Pelo jeito, as empresas não concordavam.
Depois de minha formatura, há quase um ano e meio procurando, decidi investir em concursos públicos. Talvez eu conseguisse uma área no setor comercial ou administrativo do Estado. Não seria um problema se eu pudesse migrar posteriormente. Prestei vários concursos que fiquei três ou quatro vagas abaixo da linha de corte. A frustração era grande, mas eu continuava.
Enquanto isso, precisava me sustentar. Portanto, permaneci dando aulas de inglês. Não posso negar, sou bom nisso. Não muito bom, mas o suficiente para receber elogios esporádicos tanto de alunos quanto colegas. Quem sabe se em algum momento eu me dedicasse à área pedagógica, pudesse crescer e construir uma carreira ali.
Porém, eu sabia que investir na área pedagógica me afastaria completamente de RI e Comex. Então nunca fiz isso ou fui para esse lado. Em certo momento de 2019, passei no edital do IBGE para o Censo 2020. Meu nome foi homologado no Diário Oficial da União. Eu estava dentro. Tinha conseguido algo diferente, além de dar aula. A frustração parecia ter acabado. Só precisava esperar março de 2020 para ser chamado. Minha namorada chorou de felicidade por mim. Eu também estava transbordando por dentro.
Aí aconteceu que... a pandemia. Todos sabem. A verba do Censo 2020 foi cortada completamente nesse ano e transferida para o segundo semestre de 2021, isso se não for postergada mais uma vez. Depois, descobri que o concurso que tinha passado era PSS e mesmo eu estando dentro, não significava que seria chamado. Nisso já era metade do primeiro semestre de 2020 e eu também não havia parado de mandar currículo para RI e Comex. Se eu conseguisse um emprego nessa área, não ficaria no IBGE (pois o cargo era temporário de apenas um ano).
Extremamente frustrado, depois de muitas e muitas (e muitas) crises de raiva, tristeza e angústia, decidi investir em alguma coisa que fosse mudar tudo. Comecei uma segunda graduação. Moro em Curitiba e diante das possibilidades de cursos que poderia fazer nessa área, optei pela que me pareceu melhor: Comércio Exterior.
Minhas aulas começaram em julho desse ano. Desde o mês sete, tenho uma única rotina: todo dia da semana eu acordo, vasculho a internet, sites especializados, grupos de WhatsApp e Telegram, em busca de empregos para a área comercial, administrativa, financeira ou até logística. Existem muitas coisas em cada um desses setores com as quais eu adoraria trabalhar. Todo dia, literalmente todo dia mesmo, eu me inscrevo em média de uma até três vagas - tipo, todo dia.
Desde julho, sou rejeitado em umas 30/40 vagas mensalmente. Entrar em uma segunda graduação de Comércio Exterior realmente ajudou: agora sou chamado para entrevistas e provas. No entanto, sempre que me perguntam se eu faço alguma coisa, se ainda trabalho, digo que tenho o trabalho temporário de instrutor de línguas. Algo que quero largar assim que conseguir outro trabalho na área que quero, ou seja, na área para a qual estou me inscrevendo.
Só que é sempre nessa parte, é sempre nesse momento que vejo claramente que sou colocado de lado. Ninguém quer contratar alguém que precisou trabalhar como professor. Algo pedagógico, muito diferente do mundo comercial. Sempre elogiam minha curiosidade por línguas, acham legal meu contato com setores administrativos e financeiros no passado, mas por terem sido trabalhos informais, ninguém se importa. Sim, estou frustrado.
Dia após dia recebo e-mails falando que não foi dessa vez. Isso quando os recebo. A maior parte das inscrições por e-mail não são respondidas. As que realizo por sites diversos, estão marcadas 90% como "Rejeitado por falta de experiência". Todos estágios. É sério. Tenho mais de 40 vagas de estágio rejeitadas por "falta de experiência". Repito novamente porque estou frustrado: estágios.
Eu não consigo um único estágio. Em nenhuma área. Todo dia sou recusado. Não importa se é RI. Setor de compras. Setor administrativo. Setor financeiro. Setor de logística. Só preciso desse primeiro emprego na área. Aposto que os demais vão vir muito mais facilmente (porque mais difícil não tem como existir).
E receber constantemente, apesar do esforço diário de mandar currículos, atualizar informações em sites (sim, tenho perfil em LinkedIn e mais outros diversos sites de emprego), apenas me lembra do meu fracasso. Não tenho perspectivas nenhuma de que vou conseguir. Nenhuma perspectiva que vou mostrar para alguém quão esforçado posso ser. Quão dedicado. Eu só preciso de uma chance para a primeira oportunidade.
Estou nessa há 3 anos. Acumulo quase 100 rejeições totais desde que comecei minha segunda graduação. Cada vez me empenho mais para tentar. Cada vez tenho menos vontade e fico pior. Menos motivado. Antes que alguém fale alguma coisa (se alguém aguentou ler esse textão de desabafo até aqui), estou sempre verificando meu currículo: como apresentar informações, tirando, colocando coisas. Já contratei profissionais de currículos que analisaram e mudaram algumas coisas. Já apresentei pra muitos profissionais colegas e da família que deram algumas sugestões e elogiaram outras coisas. É algo que estou sempre tentando melhorar, mais e mais.
Pra encerrar, existe um fator nisso tudo que aumenta ainda mais a frustração comigo mesmo, a frustração com todo esse cenário. Minha namorada trabalha na área de tecnologia. Em 2019, decidiu arranjar um estágio. Se inscreveu para três e conseguiu um deles. Agora em 2020 decidiu ir para outro, se inscreveu em uma única vaga e foi aprovada. Não tenho raiva nem dela. O que mais me afeta é a diferença da facilidade de conseguir emprego em uma área comparada à outra. Ela é minha namorada. Amo ela e estou feliz que ao menos um de nós está tendo conquistas dessa área. Mas não consigo deixar de ficar pior, o problema sou eu? Nunca vou conseguir uma vaga simplesmente por causa da minha primeira formação? Porque precisei dar aulas para me sustentar? O problema é algum outro?
Enfim, esse é o meu desabafo. Desculpem pelo tamanho do texto e obrigado se alguém chegou até aqui.
submitted by Creative_Oven_6350 to desabafos [link] [comments]


2020.10.13 01:11 Really_Disconnected Mais um dos meus dias.

Hoje mais cedo recebi um e-mail de um professor avisando sobre uma aula que acontecerá esta semana, ele quer que os alunos façam a atividade e durante a aula ele só corrigirá, eu não sei direito o que é pra fazer nem como, passei o dia tentando entender, enquanto tenho um relatório pra entregar sexta e prova na próxima segunda, em algumas horas eu estava deitado na cama e pensando novamente em morrer, é incrível como a minha ansiedade funciona.
Momentos mais tarde eu recebi uma ligação do me pai que durante o momento em que estava deitado, não vi o telefone tocar. No instante em que eu vi que tinha perdido a chamada pensei "ainda bem, não queria falar", o problema é que eu nunca quero falar, esse ano minha irmã passou a morar comigo e há mais ou menos umas duas semanas nós nem nos falamos pra valer, este ano desde que a pandemia começou eu não me lembro de ligar pros meus pais e perguntar como eles estão, nem sequer sei se me preocupo com isto, já me peguei imaginando em algum deles contraírem covid e eu precisando ligar para eles (planejando frequência de chamada, o que vou perguntar e como), eu moro em uma cidade diferente da que eu nasci e só vou pra lá final do ano, mas já estou imaginando como será e na minha cabeça não será nada agradável, eu nem tenho mais vontade de reencontrar meus amigos que vivem lá, eu já tenho pesadelos com o natal e o ano-novo, qualquer coisa por mais banal que seja eu já penso como que por impulso: "que inferno, se eu morresse amanhã eu não teria que lidar com isso, nem lidar com mais nada".
Até ano passado eu fazia tratamento pra depressão, recebi alta da psicóloga e parei com os remédios, dedico 90% do meu tempo à faculdade, chego a passar o dia todo na frente do computador estudando, passei a ir à academia, cuidar da minha alimentação da melhor maneira que consigo, tenho me esforçado, mas aos poucos eu me desconecto mais do mundo, aqui dentro está vazio e frio, eu não sei se me importo com alguém, nem sei se me importo comigo mesmo. Curiosamente, às vezes, minha ansiedade joga ao meu favor, quando eu procurei a psicóloga ano passado era por que não conseguia mais me concentrar e estudar, agora eu faço à força, faço pra não voltar como estava antes e não voltei, eu consigo estudar, consigo me manter concentrado, eu nunca atentei contra minha vida por ansiedade, o que acontece quando não da certo? e provavelmente não dará certo (essa semana um amigo tentou se matar e não deu certo, o que acontece agora é o que eu temo, reincidência, vergonha, etc).
Esta aqui é só mais uma das minhas crises, obrigado a quem leu até aqui, amanhã eu volto ao meu "normal", porém hoje será mais um dia em que eu vou dormir, torcendo pra não acordar amanhã.
submitted by Really_Disconnected to desabafos [link] [comments]


2020.10.07 00:31 TylusChosen Minha professora é psicopata.

Sério, chegou minha vez de fazer a disciplina mais temida do curso. Não pela dificuldade e sim pelo mau-caráter da minha professora. Além de fazer chamada oral no EAD que é a única maneira de conseguir presença. Fica desmerecendo quem não se sente a vontade de fazer desta forma. Tem uma menina que tá basicamente reprovada porque não tem microfone, apesar de comparecer todas as aulas. Falando em aulas, desmarca quase sempre a aula marcada no sistema. Manda e-mail que o cachorro quebrou a pata,o carro atolou no quintal,a glicose abaixou, caiu uma árvore no fio da luz .E remarca para um horário que puta que pariu quase metade não pode comparecer pq cada um tem sua vida. E o seminário que vale como avaliação é sobre os tópicos da disciplina dela, que é mais confortável para avaliar para ela e terrivel para nós se falar alguma coisa errada. O pior que a gente já falou com a coordenação, mas como é queridinha e tem "amigos" continua como dinossauro tacando o terror e cada por si. Tem boato de perseguição da parte dela que aluno ficou 4 anos reprovando a matéria por birra. A galera diz que tenho sorte de cursar a disciplina no EAD, mas puta que pariu até 90 KM da sala de aula isso me faz ficar puto.
submitted by TylusChosen to DesabafosAulaOnline [link] [comments]


2020.10.05 09:37 KurolNeko Sou um ciêntista político mediocre

Bem, esse ano me formei em Ciência Política. E, poxa, esse ano é ano de eleições. Obviamente deve ter um monte de oportunidades pra eu arranjar emprego né? Não. Primeiramente porque não tenho contato com ninguém e nunca acabei fazendo nenhum tipo de networking na área (questões relacionadas à cidade minúscula em onde fiz a graduação); segundo, porque eu não tenho menor ideia do que fazer para conseguir emprego na área (quer dizer, eu sei no que posso trabalhar mas não como chegar lá) nunca tive estágio do tipo pelas mesmas razões citadas na primeira situação. Eu sinceramente sinto que gastei quatro anos da minha vida à toa, já que eu só aprendi teoria, teoria e mais teoria sem nunca ter sido capaz de colocar em prática. A verdade é que eu até tenho medo de achar algum emprego (isso se eu encontrar considerando que não tenho experiencia alguma), e fazer merda. Apesar de eu ter sido um aluno exemplar e ter me esforçado bastante, não me serve de nada um título. Eu talvez, verdade, esteja pedindo demais. Um titulo não é nada, é o mínimo do mínimo. É o começo de uma carreira, mas a verdade é que eu realmente queria e preciso um emprego. Acho que todo mundo que se forma gostaria de poder sentir que o esforço valeu a pena.
Eu me sinto muito inútil, e ultimamente isso tem me deixado bastante pra baixo porque não sei o que fazer. Eu já tentei mandar e-mails pra vereadores, deputados e partidos (mas raramente respondem). Fui chamado pra trabalhar numa campanha de um amigo meu, mas de graça... Vejo também que os concursos públicos - areas relatadas à minha ou específica da minha tipo IBGE - que talvez tenham aqui por perto ainda não lançaram ou os que estavam abertos foram adiados.
Por outro lado eu comecei a fazer um mestrado de Antropologia por uma universidade argentina, apesar de não ter feito o exame de nivelação ainda, mas estou confiante de que vou passar. Bem, as coisas não estão tão más, né. Mas realmente queria poder simplesmente ja arrancar daqui e ajudar minha familia a botar comida na mesa.
Enfim, peço desculpas se eu estou sendo arrogante; talvez esteja sendo. Acho que apenas sou um ignorante que mal fez uma graduaçãozinha de merda e não sabe lidar com a realidade, assim como uma criança caprichosa que espera que chorando as coisas mudem.
De qualquer forma, obrigado por ler. Precisava tirar isso do peito, esse ano tá sendo foda pra todo mundo, mas imagino que tem pessoas aqui com problemas muito maiores do que os meus. Peço desculpas de novo por isso.
PS: É, minha autoestima tá -100 ja faz uns meses.
submitted by KurolNeko to desabafos [link] [comments]


2020.10.02 02:42 SopaDeMolhoShoyu Mais uma atualização sobre o meu mestrado. Dessa vez, nem boa e nem ruim.

Pois bem...primeiro, fui aprovado na qualificação do mestrado em fevereiro, o que foi uma grande alegria para mim. Alguns meses depois, minha orientadora se tornou uma desorientadora e pediu muitas exigências, talvez só para me fazer perder o prazo, o que fatalmente acabou acontecendo, também por um grande erro que eu cometi ao deixar passar uma informação na qualificação, admito. Aí, eventualmente consegui uma extensão de prazo, e até participei de uma banca com a minha desorientadora por Skype, na qual chamaram um professor carrasco da época da minha graduação. Porém, graças a uma ingerência da faculdade e da burocracia do comitê de ética, acabei tendo novos problemas. Acho legal dar uma atualização para vocês, afinal sempre estou sendo incentivado aqui no Reddit. Essa semana, briguei mais com o comitê de ética, sem sucesso. Aí, minha desorientadora me mandou um e-mail na segunda-feira perguntando se eu precisava falar com a pessoa que eu já estava em contato ou com outra pessoa. Expliquei que já estava conversando com uma pessoa. Na terça-feira, tentei o dia inteiro falar com a pessoa do Comitê de Ética, sem sucesso. Aí, na quarta pela manhã, recebi um e-mail muito mal explicado com as pendências a serem resolvidas. Expliquei para a minha desorientadora, que me pediu para chamá-la no Skype. Aí, eu chamei. Expliquei o ocorrido, e levei um puta dum esporro. Ela me disse que poderia conseguir uma reunião com outra pessoa do Comitê de Ética, que ela me explicaria tudo (não ficou claro no e-mail, parecia que eu deveria entrar em contato com uma ou com outra, e já estava em contato com uma delas. Não me foi explicado sobre conseguir uma reunião), porém não havia mais tempo para isso. Além disso, ela não iria conseguir me pedir outra extensão de prazo, e que pensou em me pedir para trancar a matrícula, mas que tinha outra solução. Logo após isso, o pior momento da ligação. Ela me explicou que eu deveria corrigir o erro que eu não consegui encontrar, e ela iria arrumar uma maneira de testar sem o Comitê de Ética. Eu disse "sem problemas", mais por costume mesmo. Nisso, ela virou um bicho e começou a dizer que tinha problemas, que eu fiquei meses sem fazer nada (como se ficar brigando com a burocracia da faculdade e do Comitê de Ética fosse ficar sem fazer nada) e que ela não podia me ajudar se eu não me ajudasse (como se revisar meu artigo no dia do deadline fosse me ajudar). Minha única reação foi pedir desculpas pelo "sem problemas", não queria ofendê-la por usar uma expressão errada. Tentei explicar meu ponto de vista, mas ela simplesmente não parou de dar o esporro dela. Sinceramente, não sei se errei ao usar tal expressão, mas definitivamente não fiz por mal. Aí, fiz o que ela pediu. Cacei o bug que ela foi extremamente vaga ao explicar, e nem me mandou um print ou um vídeo da tela reproduzindo o erro como eu pedi ainda em julho, dado que eu estava em muita dificuldade para achar o erro. Hoje, finalmente encontrei a porra do erro (depois de testar várias vezes e não encontrar, e eventualmente ela havia pedido para deixar o jogo do jeito que estava mesmo), corrigi e mandei para ela. Agora, ela me disse para esperar. De qualquer forma, quero terminar o mestrado, e estou me sentindo motivado para isso. Porém, nunca mais quero trabalhar com essa pessoa, que só me causou mal.
EDIT: Minha mãe estava passando por mim enquanto eu falei o "sem problemas" no Skype. Ela disse que minha desorientadora, ao me dar o esporro e nem me deixar pedir desculpas, parecia o Trump no debate presidencial dessa semana, pois ela simplesmente não me deixou falar.
EDIT 2: Ontem, liguei para um grande amigo, para desabafar sobre o ocorrido. Ele foi orientado pela mesma pessoa na graduação, e a detesta, e disse que essa forma de dar esporro, explicar mal e não ser uma boa orientadora é o modus operandi dela.
submitted by SopaDeMolhoShoyu to desabafos [link] [comments]


2020.10.02 01:33 huovi Frustrada demais com minha chefe

Eu trabalho numa corretora, e hoje era dia de fazer 4 renovações. Assim q eu cheguei eu fiz uma, a chefe chegou qnd eu estava terminando ela e logo já me encheu de uma caralhada de coisa pra fazer. Passou a tarde quase toda até eu ficar "livre" a ponto de poder perguntar (pois a minha colega de trabalho disse pra eu fazer isso pra a gente não passar 10 anos fazendo cálculo a toa) se era pra renovar os 4 mesmo ou se tinha alguém q ia cancelar. A mulher deu o maior escândalo, perguntou pq q a gente não tinha feito(qnd foi ELA q nos impediu de continuar dando 7236671253651263 trabalhos diferentes), se a gente não sabia, q isso era responsabilidade nossa e ela não queria ter q se preocupar com isso, e no fim sequer respondeu a pergunta q eu fiz, só fez gritar e falar coisa nd a ver kkkkkk
TODA VEZ acontece uns negócios desse, causados POR ELA, e ela arruma um jeito de jogar a culpa em nós. Semana passada por exemplo teve uma renovação q não queria sair de jeito nenhum, e nem eu nem minha colega entendíamos o pq. Acho q passamos meia hora editando o cálculo mudando informações pra ver oq é q tava impedindo de continuar. Qnd finalmente desisti e fui perguntar pra chefe, ai ela falou q aquela companhia não estava aceitando pq o cartão era no nome de uma pessoa e o titular do seguro era outro. CARALHO, É ELA Q ENTRA EM CONTATO COM O CLIENTE PRA DEFINIR O CARALHO DA FORMA DE PAGAMENTO Q ELE QUER. SE ELA JÁ SABIA DESSA MERDA DESSA INFORMAÇÃO, PQ ELA JÁ NÃO FALOU NA HORA PRA ELE DAR OUTRO MÉTODO DE PAGAMENTO PRA ELA? Q INFERNO. Fez a gente perder 50 anos, passar por estresse, por um erro q ela cometeu, pra dizer "se não fosse eu vcs iam passar a tarde toda aí né? kkkkk".
Fora umas besteiras rotineiras mas q irritam tbm... por exemplo, ela nunca pede o inferno do estado civil do cara q quer fazer um seguro de carro novo, e isso infelizmente é uma informação importante. Uma vez eu coloquei solteiro/outro (já q ela não fez o favor de perguntar né, então eu não sabia) e a minha colega colocou casado/união estável pq na idade daquele cliente ela já era casada, e aí no fim deu tipo 300 conto a mais pra ele pagar se fosse solteiro. E tipo, mesmo ela sabendo disso, ela não pergunta. Ela sabe q todo cálculo precisa dizer a % de comissão dela, ela não fala, eu coloco 15%(como me ensinaram), aí ela acha ruim e quer saber pq eu não perguntei. Se ela já sabe q precisa, pq NÃO FALA LOGO nesse caralho desse inferno?
As vzs eu tenho q ler certos e-mails q chegam novamente em voz alta e explicar oq está sendo dito pq ela simplesmente ignora metade das palavras ou inventa palavras parecidas enquanto tá lendo. Eu acho isso negativamente incrível, um talento.
O pior de tudo é que eu acho minha chefe uma pessoa tão legal como ser humano, mas como profissional ela é completamente... Não sei se é doida, se ela se faz de doida, se ela só caga pras coisas e não presta atenção pq não quer, se ela só é hiperativa... Realmente não faço a menor ideia.
Eu tava levando, até q hj minha colega disse q desde q eu cheguei eles só estão pagando a ela metade do salário dela, e cobram q ela trabalhe o mesmo tanto de antes. Falou q ficaram enrolando ela pra assinar a carteira, e aí fizeram um contrato temporário no ano passado, q inclusive já acabou, e seguem enrolando. Detalhe q ela já tá com eles a 4 anos nessa enrolação, e isso só me dá ctz q eu preciso arrumar uma oportunidade melhor logo.
E o pior é q ela super tava prometendo me efetivar no início do próximo ano, mas agr mais ainda to determinada a não ficar lá, mas não pretendo me demitir sem ter outra oportunidade a vista. Será q pega mal procurar estágio enquanto está estagiando? infelizmente eu acredito q precisaria falar da minha experiência nesse lugar pra acrescentar no meu currículo.
É só isso msm, só queria desabafar sem a competição de quem tem o chefe pior q teria com os meus amigos kkkkk
submitted by huovi to desabafos [link] [comments]


2020.09.30 13:47 ebookrevenda Estou desempregado, o que fazer pra ganhar dinheiro?

Estou desempregado, o que fazer pra ganhar dinheiro?
https://preview.redd.it/9ws8gjobw9q51.png?width=1772&format=png&auto=webp&s=e403f3b8f912a85197edefd9cc97365da8584d28
Na internet existem centenas de formas de se trabalhar online e ganhar um dinheiro a partir de sua casa em suas horas livres, caso você esteja desempregado e com muitas horas livres melhor ainda Ah sim com certeza você vai obter mais resultado com esse tipo de trabalho.
Em sua maioria os trabalhos online consistem em divulgar algum produto ou serviço e sempre que você fizer uma venda desse produto ou serviço Você vai ganhar uma comissão por esse trabalho realizado, Essa é a forma de pagamento mais utilizada pois você vai receber apenas caso realmente esteja divulgando o produto e fazendo vendas, existem produtos que pagam excelentes comissões como por exemplo softwares, livros digitais, manuais, e outros produtos digitais, existem também produtos físicos que pagam comissões porém essas condições geralmente são muito baixas o que acaba não valendo a pena Devido ao trabalho que se tem para fazer uma venda e ganhar uma comissão tão pequena.
Vamos ver alguns exemplos de produtos onde você pode ganhar comissões que chegam a 50% do valor do produto ofertado.

REVENDA DE SOFTWARES (PROGRAMAS DE AFILIADOS)

Abaixo você pode ver alguns sites onde você pode se registrar E participar do sistema de revenda

https://i.redd.it/wz1laikcw9q51.gif
PCG Programa Classificados Grátis:
Basta fazer uma pesquisa no Google pelo termo ”afiliados PCG” E você vai encontrar um site com mais informações sobre esse software se trata de um software de divulgação automatizado para fazer anúncios em sites de classificados grátis, usando esse software você pode anunciar em mais de 340 sites de classificados grátis e dessa forma economizar tempo ao fazer suas divulgações e obter muito mais resultados com seus produtos que tenha a vender, a questão aí é que você pode revender esse programa e sempre que fizer uma venda do mesmo você ganha quase 50% de comissão pela venda realizada, Eles oferecem acesso ao site utilizando um id e senha e você pode acompanhar todo o seu trabalho em um painel de controle assim como ver as comissões, ver e-mail de clientes que realizaram um pedido, dentre outros.
Software AutoFace:
Para encontrar esse software pesquise por “afiliados autoface” Também se trata de um software para automação de marketing, porém dessa vez para automatizar algumas funções no Facebook como por exemplo postar em grupos, postar no mural dos seus amigos, dentre outras funções. o software também tem um sistema de revenda onde você ganha 50% de comissão por cada venda realizada, semelhante ao anterior você também tem acesso a um painel de controle usando um id e senha onde você pode acompanhar todos os detalhes de seu trabalho assim como as comissões a receber, em ambos os sistemas você recebe pelo Mercado Pago
Software PromotionSite:
Basta pesquisar por “afiliados promotionsite” e você vai encontrar esse software que também se trata de um software de automação de marketing, esse programa divulga qualquer produto ou serviço em formulário de contatos de outros sites, você digita uma palavra chave no programa e o seu texto, a partir daí o programa Vai buscar sites que contenham essa palavra chave entrar nesses sites e enviar o seu texto para o formulário de contato desses sites, O sistema é bem semelhante aos anteriores e eles pagam 50% de comissão pela venda de cada software realizada.

https://preview.redd.it/m2aq9dcdw9q51.png?width=1033&format=png&auto=webp&s=c9bbd955c424db17be8b02f6db91814d193138d1
Como você pode ver existem alguns sistemas de afiliados na internet onde você pode se registrar e ganhar dinheiro trabalhando online a partir de sua casa, tanto em suas horas livres quanto integralmente, logicamente quanto mais você se dedicar mais retorno vai ter.
Espero ter ajudado com essa resposta e caso tenha sido de utilidade agradeço muito se você curtir comentar ou até compartilhar se possível, abraço e até uma próxima oportunidade.
Arquivada em:
https://programadivulgarsite.com.bblog/estou-desempregado-o-que-fazer-pra-ganhar-dinheiro.html
submitted by ebookrevenda to MarketingDigitalBR [link] [comments]


2020.09.29 07:33 demasiadamenteeu Envelheço na cidade

Há algumas semanas foi meu aniversário e a única pessoa, fora da família, que se lembrou foi uma antiga amiga. Não sei se apenas amiga, pois não sei se é correto chamar assim a única mulher que amei. Mas é o que sempre, e apenas, fomos: amigos. Não esperava pela mensagem. Já tentei me afastar dela várias vezes, e da última achei que fosse definitivo. Ela nunca se interessou por mim de outro modo para além da amizade, então a única forma que consegui encontrar para respeitá-la foi com silêncio e distância. E ela me enviar um e-mail, com alguns bons e belos parágrafos, me parabenizando pelo dia de fazer anos, não me ajudou em nada. Respondi uns dois dias depois, fui seco e frio. Uma semana após isso acabei sonhando com ela e tendo uma fraqueza imensa pelo passado. Acabei enviando-a outro e-mail, pedindo como ela estava, tentando retomar alguma forma de contato. Ela respondeu com entusiasmo, trocamos alguns e-mails e ficou por isso. Me sinto absolutamente fraco e patético. Deveria ter persistido no silêncio, já que palavras, com ela, nunca me levaram a lugar algum senão à frustração. Não sei como ou por quê, continuo a amando. Já está muito para além de um amor simplesmente físico ou costumeiro. Apenas reside em mim uma ideia clara de que não serei capaz de amar outra mulher. Até hoje foi a única com quem pude ser sincero, a única que é mais inteligente do que eu, a única que, de alguma maneira, demonstrou amor, carinho e preocupação comigo. Em momento difíceis, como agora, eu só gostaria de estar com ela, e tenho a sensação de que tudo ficaria bem. Ela foi sempre tudo que quis ao lado. Tudo na vida seria mais fácil, teria sentido, pois o faria por ela. Por hoje, já não faço mais nada direito. Estou absolutamente desanimado com minhas escolhas profissionais e com minha falta de vontade em ser bem sucedido. Não tenho nenhuma perspectiva de felicidade, ou nada que realmente queira - além da ideia impossível de estar com ela.
submitted by demasiadamenteeu to desabafos [link] [comments]


2020.09.29 03:00 EscaleiraCarlos Pequena Atualização Semanal!

Pequena Atualização Semanal!
Fala Pessoal!
Nós trazemos hoje uma pequena atualização semanal do ManaRocks para os dispositivos Android!
Agora é possível adicionar seus amigos pelo Android quando você os desafia para uma partida, sendo necessário apenas cadastrar o e-mail do seu amigo para adicioná-lo.
O que vocês acharam dessa nova atualização?
Fiquem ligados essa semana para mais novidades!
https://preview.redd.it/wd7vnmamgzp51.png?width=1080&format=png&auto=webp&s=ddc6fc269792449bd36ab9c3bf0d31076eea846c
submitted by EscaleiraCarlos to ManaRocks_SCG [link] [comments]


2020.09.28 18:10 3x35r22m4u Dúvida arqueológica pre-internet Brasil: BBS, BitNet, Alternex

Oi pessoal, bom dia.
Quando fui estagiário da UFRGS em um departamento de Pós-Graduação, eram professores e doutorandos que traziam os avanços tecnológicos. A primeira tela VGA color, o primeiro 386, a primeira impressora jato-de-tinta... Tudo chegava ao nosso departamento trazido pelo pessoal que tinha visitado ou feito o período "sanduíche" em Leeds, Rutgers, Louvain...
Com o e-mail e (depois) a Internet não foi diferente, foi este pessoal que deu o "push" pro nosso setor conseguir acesso às redes. Impensável no dia de hoje, mas tínhamos um PC XT (ou 286) ligado diretamente a Internet pública com um IP fixo via Ethernet 10base2...
Na época eu era muito novo (14 anos) e não entendia bem o que acontecia. Mas lembro que antes de usarmos protocolos popularizados pela Internet (SMTP, FTP, depois Gopher e HTTP) passamos por duas redes:
Alguém lembra destes sistemas? Alguma ideia como os nodos trocavam mensagens? Talvez alguma coisa no estilo uucp com conexões discadas internacionais feitas a noite para economizar?
Sobre BBS Infelizmente não curti essa fase... Não tinha telefone em casa. Mas lembro de visitar alguns amigos que trocavam mensagens e baixavam programas pela BBS. Tenho na memória que a cultura BBS foi muito forte até o surgimento dos modems 14400. Havia um cliente de BBS chamado Excalibur para DOS que era lindo e tinha um monte de funções.
Um artigo no caderno da Zero Hora Digital bem antigo explicou que havia uma espécie de rede regional e nacional de BBS, e algumas delas funcionavam como hubs e faziam a conexão com outros hubs nós EUA a fim de encaminhar mensagens e baixar os softwares.
Ao mesmo tempo que o Zoltrix 14400 permitia conexões de BBS muito rápidas, a Internet comercial começou a ganhar força (1994) e, me parece, o panorama das BBS começou a perder audiência.
submitted by 3x35r22m4u to InternetBrasil [link] [comments]


2020.09.24 09:34 SopaDeMolhoShoyu Tô no meu limite com o mestrado.

Acho que muitos aqui acompanharam minha saga com o mestrado (para quem não acompanhou, leiam as partes 1, 2, 3 e 4 para entenderem os problemas que eu tive). Desde então, consegui a extensão de prazo de 90 dias, porém a minha matrícula foi feita somente no dia 24 de agosto, mesmo que o novo prazo valesse a partir do dia 17 de julho. Ou seja, fiquei mais de um mês sem poder fazer nada por conta desse problema, dado que eu dependia de estar matriculado para as próximas etapas. E, para tornar a situação ainda mais merda, tive que pagar o mês que eu não fiquei matriculado.
No dia 24, ou seja, quando a minha matrícula ficou válida, dei entrada no Comitê de Ética, corrigindo os erros do processo que eu havia mandado antes da extensão de prazo. Falar com minha desorientadora não foi uma opção, dado que, em todos os e-mails que eu mandava para ela a respeito do assunto, ela me pedia para falar com a funcionária do Comitê de Ética da faculdade. Esta última foi péssima, não explicando como preencher os campos na Plataforma Brasil de forma clara, e em muitos casos eu tive que advinhar o que fazer. Eu deixei explícito para ela que não queria retrabalho, e, após cerca de uma semana, consegui enviar. Aí, meu trabalho era esperar até que liberassem tudo, para que eu pudesse aplicar a pesquisa nas pessoas. Pois bem...houve uma evolução no processo que corria na Plataforma Brasil até o dia 12, aí simplesmente parou. Na segunda-feira, liguei para a funcionária do Comitê de Ética, que me informou que o processo poderia durar até 30 dias. Aí, mandei um e-mail para a minha desorientadora, que me explicou que uma nova extensão de prazo não seria possível, e que eu teria que entrar em contato com o coordenador do curso para explicar a situação. Mandei um e-mail para o mesmo e, até o presente momento, o coordenador não me respondeu. Na terça-feira, novamente liguei para a funcionária do Comitê de Ética, e uma nova frustração, pois ela me pediu para mandar um e-mail explicando o ocorrido, e fiz isso.
Ontem, ocorreu uma atualização no processo da Plataforma Brasil e, logo depois, liguei para a funcionária para saber os próximos passos, e ela me disse que responderia o e-mail mandado anteriormente. Algumas horas depois, acessei a Plataforma Brasil após receber um e-mail sobre uma atualização de status, só para ver se tinha ocorrido algo. Eles atualizaram, dizendo que haviam pendências a serem corrigidas. Cliquei no link para ver o que ocorreu. Para a minha surpresa, o texto era exatamente o mesmo do processo anteriormente rejeitado. Ou seja, eles pediram para alterar os pontos que eu já havia alterado. Para vocês terem uma idéia, em um dos pontos, pediram para alterar um endereço de e-mail que estava na versão anterior de um dos documentos para um que eu já havia colocado. Além disso, pediram para alterar o número de participantes, pois haviam incoerências na versão anteriormente submetida e já corrigidas na nova versão. Aí, fiquei revoltadíssimo e o sangue subiu. Pistolei e comecei a xingar aquela cambada de filhos da puta do caralho, que querem fuder os alunos de qualquer jeito. Eu não consegui fazer nada nos últimos meses por pura burocracia deles, e também paguei um mês que eu não pude utilizar. Ironicamente, alguns minutos depois dessa merda, a funcionária do Comitê de Ética me mandou um e-mail, informando que haviam atualizado o processo.
Algumas horas depois, liguei para um grande amigo, que chegou a ser orientado pela minha desorientadora na graduação, há cerca de uma década. Conversei sobre qualquer outra coisa, mas desabafar sobre as merdas ocorridas no mestrado foi inevitável. Ele sabia dos problemas que eu estava passando, mas o atualizei mesmo assim. E ele me disse que, quando eu o informei sobre trabalhar com a minha desorientadora, ele ficou assustado, mas não falou nada porque trocar de orientador durante o mestrado é praticamente impossível, e eles que definiram o orientador antes mesmo da primeira aula do curso. Além disso, esse meu amigo definiu a minha orientadora como uma víbora, e eu concordei. Depois, até brinquei com ele, dizendo que seria uma ofensa ao Dodge Viper que nós dois tanto amamos e à primeira banda do nosso querido e saudoso André Matos, artista que tivemos a oportunidade de ver ao vivo juntos várias vezes, hahahaha. De qualquer forma, ele disse que ela não orientava, mas sim dava esporro. E sim, já tive o desprazer de ver ela me dando esporro, e não foi nada agradável.
Hoje, vou tentar falar com a funcionária do Comitê de Ética sobre o ocorrido. Caso eles não aceitem a versão que eu alterei há quase um mês e já submetida à Plataforma Brasil, vou largar o foda-se e desistir do mestrado, pois minha saúde mental foi pro caralho por causa de todas as merdas ocorridas nos últimos meses. Sei que está no fim, mas não dá pra aceitar esse tipo de situação por mais tempo. Principalmente com uma desorientadora totalmente evasiva, uma funcionária do Comitê de Ética que te confunde a cada e-mail ou ligação e um coordenador que tá cagando e andando pra você.
Certa vez, ainda no início do mestrado, a minha desorientadora foi a um congresso fora do Brasil. Da viagem, ela me trouxe um cartão postal, onde ela escreveu "u/SopaDeMolhoShoyu, que a pesquisa seja uma viagem enriquecedora em todos os sentidos". Pois bem...me enriqueceu em problemas de ansiedade, em noites sem dormir e em um desejo de nunca mais trabalhar com pessoas assim. Caso eu desista desse mestrado, posso até fazer outro curso de mesma natureza, mas vai ser em outra instituição, pois estou tão desgastado com toda essa merda que perdi o tesão pela minha pesquisa. É isso, gente. Obrigado por lerem esse textão gigante, e desculpem pelos erros de português que podem ter ocorrido, mas tá foda de me concentrar pelo fato de eu estar puto pra caralho e de estar vivenciando mais uma madrugada sem conseguir dormir.
submitted by SopaDeMolhoShoyu to desabafos [link] [comments]


2020.09.23 23:05 Gdmu RITUAL: EAW (Efeito Alan Wake)

RITUAL: EAW (Efeito Alan Wake)
https://preview.redd.it/n8gqcgexoyo51.jpg?width=253&format=pjpg&auto=webp&s=8c6ab49e02c2e8b6f51e7be9d93130f9a3af34f5
ADVERTÊNCIAS
1.
O ritual a seguir não apresenta um método para que você obtenha tudo o que quer, e sim aquilo que você merece.
2.
Embora o ritual apresente características extremamente individuais, fazendo com que não exista um "jeito errado" de pô-lo em prática, é imprescindível que o leitor cumpra todos os passos envolvendo técnicas de segurança e proteção. Falhar em seguir estas orientações pode acarretar em danos permanentes.

INTRODUÇÃO:
O que faz uma história ser boa? Este é um questionamento que nunca fica sem resposta, seja ele direcionado à um grande acadêmico da comunicação ou para uma criança pouco antes da hora de dormir. Todos nós temos opiniões e preferências acerca do assunto, mas um ponto em comum entre nossas concepções é o de que a história precisa transmitir um sentimento. Para nos conectarmos, e por consequência apreciarmos uma história, ela precisa nos fazer sentir algo.
Segundo o professor Theodor Zimmermann,
"as melhores narrativas são aquelas que se encontram fortemente ancoradas em nossa realidade, independente de espaço ou tempo"¹.

Reconhecer características do mundo em que habitamos, assim reconhecendo a nós mesmos, é fundamental para criar o efeito proposto por uma boa história, independente de se tratar de um texto fantástico ou realista.
Esta certeza é abordada de forma criativa pelo jogo Alan Wake², que conta a história de um escritor que involuntariamente é capaz de dar forma àquilo que escreve. Embora a proposta seja bem trabalhada na obra citada, este não é de todo um conceito novo na ficção³, e embora muitos escolham ignorar, também não se trata de uma experiência que não possa ser replicada no mundo real. Atores, roteiristas, pintores, músicos, todos estes possuem um método para se conectar com suas obras de forma a criar uma âncora no mundo real para a fantasia.
Mas o que acontece quando os lugares, eventos e seres que habitam o seu imaginário são terríveis demais para encontrarem um duplo em nossa realidade? Como ancorar no mundo real uma história que não pode ser concebida por uma mente sã? O Efeito Alan Wake é uma saída para este problema.
Este método (ou ritual, chame como preferir) é uma ferramenta útil para todos aqueles que trabalham com o horror. Seguindo os passos, é possível potencializar o efeito de sua criação e elevar até mesmo o trabalho mais simples ao status de obra prima.

O MÉTODO:
Tudo o que você precisa para começar é ter uma ferramenta com a qual você possa escrever. Seu celular, por exemplo. Isso pode soar contraintuitivo para um desenhista que busca realizar o ritual, mas a palavra é o ponto de partida perfeito para criar o efeito desejado. Como dito pelo pesquisador Jules Pfeifer,

"A palavra é o primeiro código, a forma mais ancestral de transformar mente em matéria".

Embora nada impeça que você utilize outras formas de expressão para inicio ao ritual, a escrita se mostrou o método mais eficiente e definitivamente mais seguro.
Assim que você estiver pronto para escrever, tire um momento para se conectar com o ambiente. Explore seu quarto com os olhos, abra os ouvidos para os sons dos carros na rua. Acender um incenso ou até mesmo cheirar a roupa lavada é o suficiente para despertar
o olfato. Toque as coisas, prove algo, incentive seus sentidos a se conectarem completamente com o espaço ao seu redor.
A partir de agora, você é o personagem. Escreva sobre si mesmo em primeira pessoa, sempre no pretérito. Comece devagar, descrevendo tudo o que você percebe. Para que o método funcione, é preciso que você escreva sobre o momento presente, mas sempre com uma voz no passado, como se você estivesse assistindo à tudo isso do futuro. Assim que você sentir que a sua escrita está conectada plenamente com o mundo real, é hora de seguir adiante.

ALTERANDO A REALIDADE:
Embora nosso método só tenha realmente ganhado uma nomenclatura a partir deste estudo, podemos observar na história alguns momentos em que uma técnica semelhante já foi utilizada. Quando o explorador Roland Garros ficou perdido em uma geleira em meio a uma expedição ao Ártico no começo do século 20, podemos perceber uma proto-tentativa de alterar a realidade em seu diário:

"Não muito precisei caminhar para que me encontrasse em frente a entrada de uma caverna, uma promessa de sobrevivência em meio à vastidão gélida. Assim que entrei, pude sentir o calor da vida se espalhando pelos meus membros, e para minha surpresa havia ali uma vegetação rasteira com a qual pude me alimentar. Me sentindo agora seguro, mas extremamente cansado, montei um pequeno acampamento e me pus a esperar o resgate por parte de meus companheiros".

Como nós sabemos que Roland estava de fato alterando a realidade, e não simplesmente registrando o que de fato havia acontecido? A resposta está no destino infeliz do explorador Garros, que infelizmente só foi encontrado tarde demais. De fato, tudo o que foi escrito por ele aconteceu, porém Roland falhou em especificar que estaria vivo ao ser encontrado. Que este relato também sirva de aviso para quem ainda pretende colocar o método em prática.
Agora, os passos que você deve seguir para criar a realidade alterada consiste em sua capacidade de criar detalhes. Estando completamente conectado com o mundo real ao seu redor, comece a pensar em pequenas coisas que poderiam ser diferentes. Para que ocorra o efeito desejado, você precisa registrá-las no papel conforme for pensando. Escreva sobre o vento que bate em sua janela, o cheiro de queimado que vem da cozinha, ou o bater de leve da sua porta meio-aberta. É importante que a descrição envolva algo que você possa perceber imediatamente através dos seus sentidos, pois assim que as palavras forem escritas (se o contato com a realidade tiver sido propriamente estabelecido), você irá experimentar os efeitos da realidade alterada.

CRIANDO A CONEXÃO COM AS PROFUNDEZAS:
O processo até então envolve um esforço tanto físico quanto mental, por isso a próxima etapa pode se mostrar difícil para pessoas sem experiência. Feche os olhos por um momento, e imagine-se em um espaço vazio, com somente escuridão à sua volta. Imagine-se deitando no chão, e se deixe ser levado para baixo. É compreensível que a sensação de afundar faça com que você queira interromper o processo, mas você precisa lutar. Vença o medo e se deixe afundar. A partir de agora, os pensamentos que estarão preenchendo a folha não fazem mais parte da sua consciência. Você está conectado com as profundezas.
A parte mais desafiadora do processo vem agora: você precisa se manter em um estado de relaxamento, mas sempre atento às palavras que suas mãos escrevem. Deixe-se levar, mas mantenha-se vigilante àquilo que acontece ao seu redor. Pode ser que o quarto no qual você está agora não seja mais o seu. Pode ser que você veja seu corpo sair andando sem rumo, com as palavras sendo escritas agora somente em uma tela imaginária diante dos seus olhos. Existe também a possibilidade de que você veja monstros, sinta o cheiro deles, ouça sua respiração resfolegante, ou até mesmo que os pelos desgrenhados de uma besta rocem seu antebraço.
Nada disso é real, mas não quer dizer que você não precise se preocupar. Porque você já não faz mais parte da realidade, e sim da história que se desenrola a sua frente. Se você cometer algum deslize, pode acabar se machucando. Se por algum motivo as palavras na sua frente indicarem que algo ruim vai acontecer com
você, utilize a técnica de salvaguarda imediatamente.

TÉCNICA DE SALVAGUARDA:
A regra que você precisa seguir para se manter protegido é extremamente simples, mas também é o que caracteriza nosso método como um ritual. Segundo a ocultista Martha Portmore,

"Um ritual é caracterizado pela presença os seguintes passos: 1. uma vontade estabelecida por parte do praticante. 2. Um método composto de passos a serem seguidos. 3. Uma forma definida de interromper ou alterar o processo".

Em nosso ritual, nós chamamos este último tópico de técnica de salvaguarda. Quando você perceber que a situação pode estar se tornando perigosa para você, basta escrever um comando entre parênteses. Por exemplo: (isso não está acontecendo) ou (na verdade o demônio não me matou). Essa simples intervenção do praticante no decorrer do ritual é o suficiente para que você possa garantir sua segurança. Mas para que isso ocorra, é importante que você esteja sempre atento às palavras que surgem em sua tela. Não se deixe seduzir pela sensação prazerosa de fazer parte dessa história. A história é SUA, e não SOBRE você.

UM ÚLTIMO EXEMPLO:
Eu estava no meu quarto, sentado em minha poltrona com o celular na mão, enquanto escrevia um texto com o intuito de passar adiante o que descobri. O texto se desenvolvia de forma natural, e eu estava bastante satisfeito com o resultado. Foi então que eu senti que alguém me observava. Eu levantei os olhos do papel, enquanto minhas mãos continuavam registrando a experiência. Eu olhei ao redor e encontrei ali, no canto em que duas paredes se encontram, um buraco luminoso. Eu me aproximei daquilo que parecia uma janela, e percebi, para meu espanto, que se tratava de uma tela.
Eu estava de um lado, e do outro, estava você. Naquele momento eu sabia que você estava lendo o que eu acabara de escrever, eu podia sentir a conexão. Mas então eu senti que a minha realidade alterada começava a vazar pela tela. Um dos meus monstros estava agora atrás de você, e eu vi as garras dele se produzindo através da parte da frente do seu peito, e o jorrar do sangue cobriu a tela pela qual estávamos conectados (mas isso na verdade não aconteceu, e não havia monstro nenhum). Eu podia ver os seus olhos descendo pela tela, absorvendo o conhecimento que eu havia compartilhado com você. E eu sabia que precisava tornar isso real. Eu sentei na frente do meu computador e comecei a escrever um e-mail contendo toda a informação que eu acabara de escrever. Enviei para um endereço aleatório entre meus contatos, pois sabia que tinha que ser assim. Assim que eu cliquei no botão de enviar, voltei à minha poltrona e fechei os olhos. Quando voltei a abri-los, não lembrava de nada do que tinha feito. Foi só um sonho, eu pensei.

REFERÊNCIAS:
¹ ZIMMERMANN, Theodor. Verankerte Erzählung. 1 ed. Frankfurt: Nieder, 1991. Tradução do autor.
² Microsoft Game Studios. (2010). Alan Wake. [DISCO]. Xbox 360. Espoo: Remedy Entertainment Oyj.
³ Para uma introdução ao assunto, sugiro consultar a obra de Felix Leshalski, principalmente material escrito no período entre 1983-1987.
⁴ PFEIFER, Jules. The First Code. 3 ed. New York: Parabellum, 2002. Tradução do autor.
⁵The Last Hours of Roland. Montreal: Wildlander Magazine, 1997. Tradução do autor.
⁶ PORTMORE, Martha. Tools for Astral Warding. 1 ed. Dallas: Indigo, 1979. Tradução do autor.

NOTA FINAL:
VOCÊ TAMBÉM SENTIU? Eu não sei como ele fez isso, mas tudo parecia MUITO real.
Eu recebi esse texto do meu orientador de pesquisa ontem à noite, e fiquei morrendo de vontade de compartilhar com alguém. Enfim, eu falei com ele hoje e ele disse que não lembra de nada. Faz sentido né, com toda aquela história!
A narrativa em si não tem nada de muito elaborado e as referências não batem, mas o efeito que essa história teve em mim... Eu realmente não sei dizer como ele fez isso.
Olha só, como eu não pedi autorização para ele, não compartilha esse texto com ninguém por enquanto. Só te enviei porque realmente eu queria a sua opinião sobre a técnica que ele usou pra escrever. Não quero me meter em problemas por divulgar um texto de um autor sem a permissão dele.

NOTA DO AUTOR DESTA EDIÇÃO:
Não, eu não sou o amigo do cara que vazou o ritual. O texto chegou em mim através de um grupo, e quem compartilhou lá também jurou que havia recebido de outra pessoa. Eu não tentei o ritual, e ninguém que tava no grupo disse ter tentado. Eu não senti nada lendo o texto, mas pelo menos metade das pessoas do grupo que leram disseram ter sentido pelo menos alguma coisa estranha. Até onde eu posso dizer, não passa de mais uma creepypasta. Se você tem uma opinião diferente, pode guardá-la pra você!
submitted by Gdmu to historias_de_terror [link] [comments]


2020.09.22 23:14 Dinizinni O titã testemunhado

Esta história já é antiga, teve lugar aí em 2008 ou 2009, ainda eu tinha os meus 14/15 anos e ainda o futebol mundial não tinha sido completamente revolucionado pelos dois titãs. Eu hoje sou um homem confiante, casado com a mulher dos meus sonhos e com um negócio em perpétuo crescimento mas nem sempre fui feliz como sou.
De facto, tendo crescido como adolescente assim mais para o nerd fora de uma grande metrópole para mim significava nunca ter conhecido ninguém que partilhasse os meus interesses e como consequência, apesar de não me dar mal com ninguém, nem ser "solitário", mas apenas no sentido de ter pessoas à minha volta, o facto é que não tinha amigos reais.
A solidão e a depressão operam em segredo, sendo que se por fora parecia bem, por dentro o meu lado suicida ganhava cada vez mais força.
Comecei a frequentar fóruns de suicídio e tudo, até que um dia recebi um e-mail a dizer “aguenta aí amigo, força!” vindo de um endereço misterioso: “[[email protected]](mailto:[email protected])”
Na altura nem liguei muito, achei parvo e segui a minha vida.
Passadas duas semanas já tinha pensado como ia tirar a minha vida, já tinha comprado comprimidos e tudo, apesar de ainda não ter tomado quaisquer decisões, tudo muda quando chego ao meu quarto e me deparo com o CR7 com o comando na mão, sentado na minha cama, com o meu jogo favorito na PS, o MGS 4: Guns of the Patriots.
“Bora passar o jogo em conjunto, a gente vai alternando”. Passamos as 15 horas seguintes a fazer uma magnífica no-death run do jogo, enquanto o Ronaldo debitava conhecimento enciclopédico sobre a saga Metal Gear e sobre o próprio Hideo Kojima e falando um pouco sobre os meus animes favoritos sobre os quais o Ronaldo pouco conhecia, uma vez que só seguia à altura Naruto e One Piece.
No final, após soltar uma lágrima durante a batalha entre o Liquid Ocelot e o Snake, referindo o quão dedicado era o Ocelot e aquilo a que se submeteu para levar a necessidade comum avante, o CR pediu licença, uma vez que tinha de ir jogar contra o Chelsea, mas garantiu-me que já voltava.
Após um jogaço contra o Chelsea, na altura orientado pelo Scolari, regressou com vontade de debater Hellsing, Full Metal Alchemist e Death Note, à altura os meus animes favoritos.
Tinha visto os episódios e lido as mangas durante o jogo, tornando-se no parceiro de debate que sempre quis.
Após meses de conversas no messenger e ao telefone, meteu na conversa uma moça chamada Guida, com os mesmos interesses que eu, residente em Ovar.
Começamos a falar e nunca parámos! Hoje é a minha mulher, temos três lindos filhos chamados Alucard, Light e Ronalda.
Somos donos do maior negócio ibérico de import/export de produtos japoneses e temos a nossa própria loja em Aveiro.
Ele esteve lá para mim! Ele esteve lá para nós! Obrigado Ronaldo!
submitted by Dinizinni to PastaPortuguesa [link] [comments]


2020.09.19 23:31 OrganizationFickle I was doing some reading about break ups and came across a gem of a comment which I thought I'd share with anyone on this fine Saturday evening. It made me feel better, so maybe it will help you too.

Edit: holy shit guys, thank you all for the awards!! I was not expecting that. I myself am going through it. This too shall pass. Stay strong people. You got this.

Here it is:
"So, for all you newbies who ask the questions, "Will the hurting ever stop," or "Will my ex come back," or "Why did he/she do this," this is how it typically goes down.
You two break up--doesn't matter who does it. You immediately panic and begin chasing, begging, pleading, harrassing, phoning, e-mailing, IMing, stalking (okay not all of them, just pick whichever one you did). Most of us will likely do some things during this stage that will make you cringe when you think back on it, say after about 3 months.
You lose weight. You neglect yourself, your house, your job (how many hours do we all log on this site while we are at work?). You drive your friends and family crazy talking about the break up. You cry at the drop of a dime. You can't even comprehend that your life might not again include that "special person." You begin putting them on a pedestal, forgetting all of the nagging things about them that used to drive you crazy. In your mind, they have become omnipotent, all encompasing, all everything.
You convince yourself that you are a loser who just screwed up a relationship with "the best person in the world." You KNOW without a doubt that you will never EVER love like that again. You know no one else will come along who even comes close to being as marvelous as your ex (excuse me while I chuckle to myself here). You wear a sad face for the world to see (you should see my work ID taken 2 days after my breakup, it's just pitiful).
They (the ex's) remain steadfast in their denial to get back together. Many of them leapfrog into new relationships, immediately being exclusive with a new person. For those that do leapfrog, they appear to just "replace" you with a new model. All of the things you two used to do, they now do with someone else. Bowling, cuddling watching television, motorcycle riding, antiquing. Whatever you two did, likely they will just begin doing those things with someone new.
You hear about them and their new life. You are desperate for any crumbs of news about their life. Many of us make things worse here by trying to use manipulation to get them back--yet they stay away from us like we are the plague.
For those of us who do still have contact with our ex's we begin selling ourselves short. Doing stupid things like allowing them access to our bodies and then wanting to strangle them afterward when they remind us that "Sex does not imply hope."
You, in further panic mode, begin frantically searching the internet using phrases such as "break ups," "divorce stopper," whatever. You stumble upon this site, pay your money because your curious and lo and behold, you find all of us folks in various stages of this whole breakup bullsh*t.
You voraciously read the posts. You search for news of those who "got their mates back." You're on the site constantly. You'll read the books and think "Ah I can do this. I can get this person back." You begin your "no contact" and for some of us, this will get a reaction from our ex's. For the rest, no contact is and will continue to be what you'll get and receive.
Time goes by. You'll do some stupid things. You'll call your ex when you shouldn't. You'll call when you've had to much to drink. You'll call even after 50 people on this site tell you not to. You'll show up on their doorstep, hating yourself all the time. Then you'll come back to this site and ask everyone to tell you why you were so stupid as to do whatever it was you did.
Then you'll get serious about no contact. It'll hurt, but you try to stick to it. Here's the turning point for most. For those folks who have contact with their ex's, your no contact will either bring them sniffing curiously around or they'll be somewhere high fiving their friends thanking the God's that you haven't called.
Now's the tough time. Nothing but time works. Everday the ache in your heart grows a little less. It's only nanobits that it dies down by. But everyday it will get slowly better. You'll have setbacks. You'll run into your ex accidently. You'll run into mutual friends who'll tell you something about your ex that'll have you high-tailing it home for a good cry. You'll see your ex with their new "friend." You'll receive a phone call or an e-mail from your ex who "doesn't want to be in a relationship but still wants to be friends (with benefits if you allow).
Here's another important part. You need to truly sit down and truthfully look back at the relationship and understand what you did to help with it's demise. If you miss this part, you go through all the suffering for nothing because Buddy, you'll be back here again. This site is to teach you about you. To teach you how to be a better partner, a better person. Missing that lesson is detrimental to the whole process. It's the REASON that you're going through this. God (or whatever your higher power is) needed you to learn something about YOU. Don't miss out on the lesson.
Then one day you'll smile because you didn't immediately check your answering machine when you came in. And one day you'll decide to clean the muck that has accumulated in your house. And one day you'll go outside and admit to the universe that you surrender what control you thought you had.
And one day you'll decide to date again. And one day you'll go out on your first date and it will likely be a disaster. And then you'll either force yourself to continue dating or you'll decide that you aren't ready to date but you are ready to be out amongst people again. And many of you will have some quick reconcillations with your ex's. Many of us won't. But one day, it won't matter as much. Because time will allow you to catch yourself going minutes and then hours without thinking of the ex. And you'll begin to be able to think of life possibly without that person and not dissolve into a puddle of nothingness because of the thought.
And for most of us, sadly, life will go on without that mate. That's the truth, amigos. Don't want to dash your hopes but probably less than 3% of the people on this site get back with their mates. Sobering isn't it? But, as the site instructs, you must accept this before you can truly begin to heal or draw your ex back to you. For the lucky (maybe unlucky one's depending on how much work it will take to keep a mate that has wandered back) who get back with their ex's, many will find that the paradise they envisioned isn't reality and what they once thought was gold has a certain tarnish to it now. But they stay and try and make it work because it's comfortable or, if they are really lucky, it's meant to be.
But for most of us. Life goes on. And one day you'll find yourself having a gut busting laugh over something totally stupid and you'll think to yourself "I am getting better." And finally (thank God) you'll have sex with some new and find that a) if it wasn't good, at least you did it or b) it was so much better than with your ex you wonder why you waited so long to get back out there. And you'll know you're one the road to recovery.
I guess what I'm trying to convey here is, while each situation is unique, the characteristics of most of our situations are the same. Most of us will go through at least something that I've written here. So, when someone tells you on this site that time will help you get through it, believe them. When they tell you that "trust me, it will get better and you will stop hurting eventually," believe them. And when they give you good advice that your head understands but your heart rejects, take a moment to think before you react.
Don't beat yourself up if you do something that you wished you hadn't (calling, contacting, etc) WE ALL DID AT ONE TIME OR ANOTHER. Be kind to yourself. Be forgiving of yourself. And most of all remember that being happily single is an alternative. Even if society is beating it into your head that you MUST have a mate, take some time to heal before going back out there. There are plenty of good people to love, but don't go back out there broken, jaded about love, etc. Accept realty. Experience the pain. Learn the lesson. Actively try to heal. Remember the person you were when you first met your ex and get that person back.
And the universe will take care of the rest."
submitted by OrganizationFickle to BreakUps [link] [comments]


2020.09.15 01:52 O_California Não sinto prazer em nada

Tenho 18 anos, estou com uns 120 quilos tendo 1,76 de altura, sou um obeso. Estou fazendo faculdade de direito e estou gostando, jogo games na maior parte do meu tempo, ajudo meus amigos com tudo o que posso. Não importa o quanto eu me esforce pra ser uma boa pessoa e o quanto me agradeçam por ser, no fim do dia eu não sinto prazer. Na hora até dá um bom gosto e uma felicidade de saber que eles estão bem por minha causa, talvez seja meio egoísta. Eu não me importo com o fato que daqui cinco anos eu possa ser um advogado bom, ou o que eu quiser ser, nem com o fato de que os meus amigos vão sentir minha falta se eu me matar. Eventualmente todos os meus amigos vão ter que continuar vivendo, o mesmo com grande parte da minha família, eu vou ser lembrado claro mas não vão remoer isso pelo resto da vida. A única coisa que me impede de me suicidar no momento é a minha mãe que tem depressão e o fato de eu ser filho único do meu pai, se eu me matasse eles ficariam arrasados pelo resto da vida. Eu quero algum motivo pra viver, se alguém puder me dar um por favor me dê. Eu não vou ligar pro CVV nem mandar e-mail por que se a minha família souber disso que eu tô escrevendo agora vão se preocupar demais, provavelmente a minha vida inteira vai mudar pra pior. Eu só não sei mais o que fazer, eu me esforço pra ser alguém bom e no fim eu tiro mais proveito jogando alguma coisa do que ajudando alguém. Não importa o que eu faça, eu não consigo me importar com nada que possa vir a acontecer de bom ou de ruim na minha vida, eu só quero desistir que nem um covarde logo.
submitted by O_California to desabafos [link] [comments]


2020.08.18 02:34 S1lverdice Alguém sabe em qual vídeo do "Sr. K responde" ele fala uma anedota da esposa que transa todo dia?

ele recebe um e-mail de um cara que reclama sobre a esposa não gostar que ele saia todo fim de semana pra jogar bola com os amigos, daí o sr. k manda essa pra ele
submitted by S1lverdice to jovemnerd [link] [comments]


2020.08.12 14:50 BFaria Atualização: o pai se ofendeu mais pelo filho ser plagiador do que pelo nome do arquivo.

Ou o pai não viu o e-mail ou não percebeu o nome do arquivo. Mandou uma mensagem no sistema interno da escola questionando porque os filhos estavam sendo chamados de plagiadores e quando eu expliquei novamente o que havia acontecido, o cara PERDEU A CABEÇA.
Acusou a escola de difamação, disse que ia processar o corpo docente e administrativo, disse que o filho dele (na opinião do pai um claro gênio incompreendido) JAMAIS (assim mesmo, em caps lock) plagiaria nada!!!! Já que
ELE MESMO AUXILIA O FILHO NA ESCRITA E MONTAGEM DOS TRABALHOS.
Temos duas opções: 1) ele tá mentindo que ajuda 2) o filho dele nunca me entregou nada porque esse tempo todo quem estava fazendo os trabalhos era o pai.
Independentemente: estava preocupada porque o pai ia achar que, dado o nome do arquivo que enviei pra ele, eu estaria chamando o filho dele de sujo e assim o ofendendo, enquanto que ele se ofendeu pela realidade: o filho dele copiou o trabalho da Internet e levou zero por isso.
O pai ainda pode ver o nome do arquivo e surtar? Pode. Mas o que é um peido pra quem já tá cagado, né verdade?
Mandei novamente as evidências pelo sistema da escola (me certificando de que não havia títulos ofensivos em lugar nenhum) e já tô fazendo os corre de distribuir currículo. Ce é loco trabalhar num lugar com pais surtado assim.
Pros pais do sub: você pode colocar todas as restrições possíveis e imagináveis na internet e nos aparelhos do seu filho. Ele ainda tem amigos. E onde um tem fome, dois comem.
Editado: abri o jogo com a coordenação. Não ficaram muito felizes mas pediram pra eu focar no plágio e não na possível ofensa do nome do arquivo. Até aí o assunto tinha morrido, até o pai dar ir causar no sistema da escola.
submitted by BFaria to desabafos [link] [comments]


2020.08.11 02:17 rodrigo4rocha Recuperação de Conta

Olá Amigos!
Recentemente troquei de Smartphone e no aparelho antigo estava o autenticador, e infelizmente não tenho como recupera-ló, tentei desativar o segundo fator de segurança usando o código de recuperação, porém esta pedido a senha e-mail ( não lembro mais a senha pois sempre entrava ultilizando a biometia via app) neste caso tenho como recuperar meu e-mail? Atualmente só tenho o codigo de recuperação quando criei o e-mail - Não tenho o Autenticador e e sem a senha. Socoro!
submitted by rodrigo4rocha to tutanota [link] [comments]


2020.08.05 23:16 Shadowgown Partido Comunista e o Avante (ou "Como na quinta afinal os porcos não são todos iguais")

NOTA: Este texto foi enviado como e-mail para o endereço oficial do PCP, [[email protected]](mailto:[email protected]), e foi escrito como opinião pessoal e não vinculada a nenhum partido. É somente fruto do meu descontentamento.
"Olá!
Eu sou um cidadão português como vós, e também respiro, como, bebo e tenho outras actividades biológicas como qualquer humano. Estas são, provavelmente, as únicas coisas que teremos em comum, pois ideologicamente não poderíamos estar mais longe!
No entanto, vivemos em democracia, e somos livres de ter pensamentos e ideologias diferentes, por mais parvas e irrealistas que sejam. Isto é, desde já, um dos pontos que o PCP tão vigorosamente defende, tirando quando estamos a falar de ditaduras comunistas como as da Venezuela e China.
Citando o primeiro ponto do vosso programa, o PCP almeja lutar por "uma sociedade nova "liberta da exploração do homem pelo homem, da opressão, desigualdades, injustiças e flagelos sociais (...), igualdade, elevadas condições de vida, cultura, um ambiente ecologicamente equilibrado e respeito pelo ser humano".
Regressemos a março de 2020, mais especificamente ao dia 18 de março, dia este em que o Senhor Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa decretou, pela primeira vez na história da nossa democracia, o Estado de Emergência. Pela primeira vez! Decididamente o motivo para tal será de enorme importância. Entretanto o PCP começava a planear a Festa do Avante.
Foram três difíceis meses de quarentena. Familiares que não podiam ser família, amigos que não podiam ser amigos, trabalhadores que não podiam trabalhar e uma democracia livre que não nos permitia liberdade. Não foi fácil (alguns até dirão que foi excessivo), mas o sacrifício foi feito em prol do bem maior, e pelo respeito pela natureza das coisas e pelos profissionais de saúde que não se multiplicam. Entretanto, o PCP continuava a planear a Festa do Avante.
No final de maio terminou finalmente o primeiro Estado de Emergência da história da nossa democracia. Não se engane o leitor pensando que isto do COVID teria acabado (a não ser que o leitor seja comunista), porque passámos para o Estado de Calamidade. Continuámos com imensas restrições à nossa liberdade, quer pessoal quer profissional, e com novas hábitos que rapidamente passaram a ser parte integrante do nosso dia-a-dia. Continuámos a observar números assustadores, quer de infectados e mortos, bem como de desempregados e de pobreza. Entretanto, o PCP anunciava efusivamente a data e o espaço para a Festa do Avante. Choo-choo! O comboio comunista não pára em nenhuma estação!
Desde então os portugueses têm vindo a tentar lentamente regressar a esta anormal normalidade. O sacrifício foi feito, continua a ser feito, mas como se costuma dizer, "the show must go on". E para o PCP, o espetáculo nunca parou. E o PCP deveria, especialmente, parar para pensar. Pensar no quão desenquadrado está com o mundo moderno, quer ideologicamente como socialmente. Deveria também pensar na ironia de, para um partido que tanto defende a distribuição da riqueza, salivar pelos milhões não taxados que vai buscar no Avante. Mas também, o que é mais uma incoerência no vosso oceano de incoerências? "The show must go on".
Afinal se calhar não somos assim tão iguais. Afinal, se calhar alguns são mais portugueses que outros. Afinal, se calhar os sacrifícios só se aplicam aos que não têm voz no Parlamento. Pão nosso de cada dia.
Gostaria genuinamente de ter uma resposta ao meu email. Como disse ao início, somos livres de pensar de maneira diferente, e pelos vistos também somos livres de colocar em risco a saúde pública. Mas acho que já chega de bater no ceguinho.
Com os melhores cumprimentos, Shadowgown"
submitted by Shadowgown to portugal [link] [comments]


2020.08.01 00:31 EscaleiraCarlos Patch Notes - 31/07!

Patch Notes - 31/07!
Olá pessoal!
Como tínhamos explicado no e-mail anterior e em nossas redes sociais e comunidades, o nosso modo ranqueado mudou.
Mas, como tivemos diversas solicitações, decidimos manter o modo 2v2 e incluir o modo 1v1. Com um porém, agora no modo 2v2 você deve obrigatoriamente escolher um parceiro: ou um amigo ou um robô.
Como essas mudanças irão afetar as posições no ranking decidimos fechar o Top 20 jogadores no antigo modo 2v2.
Vejam na imagem abaixo o Top 20 jogadores das rankeadas até o momento!
Parabéns à todos e esperamos ver mais de todos dentro dos campos de batalha! 😉
https://preview.redd.it/vpq4zal1q9e51.png?width=1080&format=png&auto=webp&s=a94cf72f352ec5801b1e82b2476ba8035c821449
submitted by EscaleiraCarlos to ManaRocks_SCG [link] [comments]


2020.07.31 20:06 ThrowRAZod Can’t get over an ex, what should I do?

Hey all, 20 something M here, long time lurker first time poster.
I’ll try to explain this as briefly as I can, but I’m not known for my concision.
At the end of 2019/2020, I was dating a girl, we’ll call her D. To put it lightly, I ended up getting crazy head over heels for D. She had a beautiful voice, was physically stunning, but above all one of the kindest people I’d ever met. Truly just a good person, which made it so easy to trust her. We were only dating for about a month, but it was one of the happiest/most stressful times ever. I would get so nervous about seeing her that my stomach would get into knots before dates - had to make sure there was a free bathroom after lunch. This is not to say that everything was perfect by any means. Our work/life schedules were different because she worked nights, so a lot of times on the weekend she’d sleep in until noon and I’d be up around 7 or so. As soon as she’d wake up she’d go hang out with some of her other friends, which is obviously all well and good but still kinda frustrating because we didn’t really get to hang out for any time in the morning. She also was way too influenced by one of her other friends, who was a shitty and manipulative person. You know the type, constantly saying she wasn’t good enough or thin enough or whatever enough. Real aces amigo. Anyways, this was also D’s first serious dating situation, whereas I’m a bit more experienced. Due to that, I let her set the tone because I wanted it to go at a pace she was comfortable with. She initiated the exclusivity talk, all that Jazz. Basically, after a month of dating, she said she wanted us to be together. Me, being head over heels, was like ok sure. I wasn’t 1000% in because I was still aggressively uneasy at times - crying to my therapist that it was happening all over again with me getting in over my head to soon- but I knew that emotionally it was what I wanted, and I would be able to calm down over a few weeks and it would be fine. A week later, she comes over, says she’s not ready, dumps me. Her birthday was the next day, and Valentine’s Day a week later. I was blindsided, confused, hurt, basically put in any word on that line and you get the idea. It’s also worth mentioning that I suffer from seasonal depression and had just started therapy for - and get this - my proclivity to get into weird entanglements that are emotionally taxing. +1 for self awareness?
Anyways, I’m totally distraught, we talk a few times after and she’s nothing but sweet, but I’m still just so messed up over it. I actually write her a letter- which I didn’t plan on sending - but drunk me had other, poorer ideas. Although the letter was sweet, it was 100% the wrong thing to do, and I didn’t follow it up any better by asking her out to dinner a few weeks later. Idle hands are the devil’s playthings I suppose. I know my poor mental health had a big hand in me reacting so poorly, and I’m sure part of the reason she said she wasn’t ready is because I know I give off crazy needy vibes when I’m depressed. Anyways, at this point, we haven’t talked for ~5 months. Having said that... I still think about her every day. It made me feel so good and happy to be around her, and she’s the exact kind of “good person” that I want to surround myself with. Always thinks of others first, wants to do right thing, classical Christian morals (the treat-others-the-way-you-want-to-be-treated, not the crusades and genocide), you get the idea. I still think about her every day despite blocking/muting her on every form of communication.
Next up, let’s talk about... J. And if you’re gonna complain that I’m being intimate with somebody else while still liking D, yes you’re bang on and I don’t feel amazing about it but people have needs and it started off as a one night stand-ish. We started seeing each other about a month ago, classic pandemic lover kind of situation, spending bags of time together Bc she’s unemployed due to Rona and I’m wfh so there’s nothing better to do. J is a very smart, intense queer woman (think midge maisel but a little less funny and more “artistic”), who has been campaigning like JFK to get together with me. I’ve been very hesitant to move forward Bc 1- It’s a pandemic and I don’t know if this would work at all in the “real world” and 2- Im clearly still not really over D. I’ve tried to be very clear that I’m not ready at the current time nor am I really looking for that kind of relationship rn, but she is PER-SIS-TENT. That’s not to say I don’t have a good time with J, she’s very smart and we have great debates over a litany of topics (BLM, General Rona, the removal of historical statues of shitty people, etc), and we’re physically compatible for sure, but at the end of the day, she’s not the one on my mind.
So reddit, I beseech thee, take the role of my $250/hour therapist and lmk wtf I should do. I don’t think there’s a universe where I can reach back out to D given how things were left, but it feels wrong to be in this situation with J. I have an email chilling in my drafts to potentially send to D, but that feels very insane, even if I think it’s decently written. Before I really went off the deep end, D had said that she thinks it would’ve worked if we had gone slower and really focused on being better friends before getting into a relationship- the same thing my gut had said. Ofc, high odds I’ve nuked that bridge, but it feels so frustrating to know that there might be a chance of something that just won’t be. D had said many times the “I’ve never felt this way before” kinda thing, which whether or not it’s true is very nice. If there’s a world where we can casually talk for a while and get comfortable again before even attempting a casual dating thing, i’d be very down for that. And maybe it’s a simple as texting her and saying “Hey, wana be friends?”
And for J, I feel like you either have that spark, or you don’t, and if I’m not there yet when will I get there? Unclear. Given her recent intent to date me proper, I feel like no matter what she’s going to get emotionally hurt and I feel terrible about that, despite me being very clear in saying that I am not ready nor looking for that at this time.
If anybody has read this long, I truly salute you, so here’s one of my favorite bad dad jokes.
What was Forrest Gump’s e-mail password?
1Forrest1
Cheers!
submitted by ThrowRAZod to relationship_advice [link] [comments]